Abstract

resumo:

A narrativa Maria! Não Me Mates, Que Sou Tua Mãe!, publicada pelo escritor português Camilo Castelo Branco, sob anonimato, em 1848, tem seduzido até hoje ouvintes e leitores com formações e gostos muito diferentes entre si. Este texto, uma das primeiras obras em prosa do autor da célebre novela romântica Amor de Perdição (1862), surgiu em folheto de cordel. O seu grande sucesso pode avaliar-se pelas várias edições que teve logo entre 1848 e 1852. Neste artigo, procuro compreender esta obra no contexto da produção literária de Camilo e da cultura portuguesa e europeia de meados do século XIX.

Abstract:

The narrative Maria! Não Me Mates, Que SouTuaMãe!, published anonymously by the Portuguese writer Camilo Castelo Branco in 1848, continues to seduce listeners and readers with very different backgrounds and tastes. This text, one of the first prose works by the author of the famous romantic novel Amor de Perdição 1862, appeared in a cordel pamphlet. Its great success is demonstrated by the numerous editions published between 1848 and 1852. In this article, I interpret this work in the context of Camilo’s literary production and Portuguese and European culture of the mid-nineteenth century.

pdf

Additional Information

ISSN
1553-0639
Print ISSN
0018-2176
Pages
pp. 53-69
Launched on MUSE
2020-01-23
Open Access
No
Back To Top

This website uses cookies to ensure you get the best experience on our website. Without cookies your experience may not be seamless.