Abstract

De 1982 a 1984, o jornalista Juvêncio Mazzarollo foi preso sob a Lei de Segurança Nacional. Durante um período no qual o Brasil supostamente era num processo de democratização, a repressão injusta do Mazzarollo se virou símbolo das contradições da abertura. Conhecido como “o último preso político,” Mazzarollo exemplifica as complexidades da transição da ditadura e aprofunda o nosso entendimento de como as forças populares—tal nacionais como locais—negociaram e contestaram a abertura.

pdf

Additional Information

ISSN
1548-9957
Print ISSN
0024-7413
Pages
pp. 153-178
Launched on MUSE
2016-06-10
Open Access
No
Back To Top

This website uses cookies to ensure you get the best experience on our website. Without cookies your experience may not be seamless.