We are unable to display your institutional affiliation without JavaScript turned on.
Browse Book and Journal Content on Project MUSE
OR

Find using OpenURL

The Electoral Behavior of the Poor in Brazil: A Research Agenda

From: Latin American Research Review
Volume 48, Number 2, 2013
pp. 25-31 | 10.1353/lar.2013.0021

Abstract

Abstract:

Some deem the Bolsa Família program (BF) in Brazil to be a quintessentially clientelistic tool, thought to have produced colossal sociodemographic transformations in the base of support of President Luiz Inácio Lula da Silva, particularly in the 2006 election. An earlier article (Bohn 2011) maintained that significant changes in Lula’s electoral base took place prior to his reelection; other social policies, such as the Benefício de Prestação Continuada, contributed significantly to the changes in Lula’s camp; and, most important, that the link between the receipt of social benefits and vote is less straightforward than those who view Bolsa Família as a clientelistic program assume it to be. This work addresses some of the criticisms that the article received and reinforces the need for further research that uses individual-based data to disentangle the complexity of the electoral behavior of the poor in highly unequal societies.

Resumo:

Alguns consideram que o programa Bolsa Família no Brasil é uma ferramenta essencialmente clientelística, tida como responsável por uma transformação socio-demográfica de grandes proporções na base de Lula, sobretudo na eleição de 2006. Um trabalho anterior (“Social Policy and Vote in Brazil: Bolsa Família and the Shifts in Lula’s Electoral Base,” Latin American Research Review 46 [1]: 54–79) sustentou (a) que mudanças significativas na base eleitoral de Lula antecederam sua reeleição; que (b) outras políticas sociais, tais como o Benefício de Prestação Continuada, contribuíram significativamente para as referidas modificações no apoio eleitoral a Lula; e, mais importante, que (c) os elos entre o recebimento de benefícios sociais e voto são mais mediatos que os proponentes da visão BF-como-clientelismo nos levam a crer. Este trabalho apresenta evidências adicionais em relação a este último ponto. O padrão de votação dos beneficiários do Bolsa Família apresenta diferenças estatisticamente significantes entre as diversas regiões brasileiras e também nas áreas urbanas quando comparadas à zona rural. Esses resultados reforçam a importância da realização de estudos adicionais que, usando dados de survey, possam deslindar a complexidade do comportamento eleitoral das camadas sociais menos afluentes em sociedades marcadamente desiguais.



You must be logged in through an institution that subscribes to this journal or book to access the full text.

Shibboleth

Shibboleth authentication is only available to registered institutions.

Project MUSE

For subscribing associations only.