Abstract

This study evaluates whether 853 municipalities of Minas Gerais have developed one specific strategy of electronic government. We searched for municipalities that have websites for the executive branch, relating this information to a number of secondary data. These data include variables on the Municipal Human Development Index (HDI-M), municipal budgetary revenues, year of founding of municipalities, the mayor’s party affiliation, and a public policy initiative related to the creation of municipal executive branch websites. This analysis was performed to develop descriptive statistics among the variables collected. In addition to exploring descriptive analysis, we attempted to determine statistical models that explain the existence of websites for municipal executives. This allowed us to determine whether municipalities that were established earlier than others, have the highest HDI-M, and have larger budgets are also more likely to have websites. The results indicate that older municipalities, as well as those with higher HDI-M and elevated budgetary revenues, are more likely to have websites. A mayor’s party affiliation indicates that municipalities administered by the Workers’ Party (Partido dos Trabalhadores, or PT, the center-left-wing party) are more likely to have websites than municipalities governed by the Brazilian Social Democratic Party (Partido da Social Democracia Brasileira, or PSDB, the center-right-wing party). Furthermore, municipalities that use the state government program Integraminas (Connect Minas) are less likely to have their own websites, which is an indication that these locations are using policy resources to communicate electronically with the population. Thus, newly founded municipalities with low HDI-M, with low budgetary revenue, and administered by center-right-wing parties may benefit from public policies that encourage greater transparency in the communication of municipal executives with their population.

Abstract

Este trabalho avalia se há o desenvolvimento de um tipo específico de governo eletrônico pelas prefeituras dos 853 municípios de Minas Gerais. Foram avaliados quais municípios possuem portais do poder executivo, relacionando tal informação com uma série de dados secundários. Estes dados incluem: Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDH-M); receita orçamentária municipal; ano de fundação do partido; filiação partidária do prefeito; e uma política pública relacionada à criação de portais para executivos municipais. A análise foi realizada de forma a elaborar estatísticas descritivas entre as variáveis coletadas. Além de explorar análises descritivas, buscou-se elaborar modelos estatísticos para explicar a existência de portais dos executivos municipais. Isso permitiu verificar se municípios com maior IDH-M, maior orçamento e mais tempo de existência possuem maior probabilidade de possuírem portal. Os resultados indicam que municípios mais antigos, com maior IDH-M e maior receita orçamentária têm maiores chances de possuírem portais de prefeituras. A filiação partidária do prefeito indicou que municípios administrados pelo Partido dos Trabalhadores (partido de centro esquerda) apresentam mais chance de terem portais, em comparação com municípios governados pelo Partido da Social Democracia Brasileira (partido de centro direita). Além disto, municípios que utilizam o programa do governo estadual “Integraminas” têm menos chances de possuírem portais próprios, já que dispõem de recursos desta política para se comunicar eletronicamente com a população. Deste modo, municípios de baixo IDH-M, com pouca receita orçamentária, fundados recentemente e governados por partidos de centro direita podem ser beneficiados por políticas públicas que incentivem uma maior transparência na comunicação dos executivos municipais com sua população.

pdf

Additional Information

ISSN
1542-4278
Print ISSN
0023-8791
Pages
pp. 155-174
Launched on MUSE
2012-12-23
Open Access
N
Back To Top

This website uses cookies to ensure you get the best experience on our website. Without cookies your experience may not be seamless.