Road Networks and Forest Fragmentation in the Amazon: Explanations for Local Differences with Implications for Conservation and Development
Abstract

Abstract:

It is obvious that roads facilitate access to natural resources. It is less clear, however, why the “spatial structure” of road networks varies among locations in tropical forest frontiers, which bears implications for the “spatial geometry” of forest fragmentation and the sustainability of resource-based development. We present a comparative analysis of the processes behind distinct road network structures and forest fragmentation geometries in two sites of the Brazilian Amazon. Contrasts in the two case histories occurred due to biophysical environments, planning and initial settlement, and subsequent change dynamics. These divergences provide the basis for an explanation of distinct road network structures and fragmentation patterns, with implications for tropical forest conservation and sustainable frontier development via policies and grassroots initiatives for effective “road governance”.

Resumen:

É óbvio que estradas facilitam o acesso aos recursos naturais. Contudo, não está tão claro porque a “arquitetura espacial” das estradas variam entre locais em áreas de florestas tropicais, que traz implicações para a “geometria espacial” dos fragmentos de floresta e a possibilidade de desenvolvimento sustentável baseado no uso dos recursos naturais. Neste artigo, apresentamos uma análise comparativa da arquitetura das redes viárias e da geometria dos fragmentos de floresta em dois locais na Amazônia Brasileira. Diferenças históricas entre os dois locais ocorreram em conseqüência do meio ambiente biofísico, planejamento e colonização inicial, e subseqüentes dinâmicas de mudanças. Estas diferenças oferecem uma explicação para as distintas estruturas de redes viárias e para os padrões de fragmentos de florestas, com implicações na conservação das florestas tropicais e o desenvolvimento sustentável da fronteira, via políticas e iniciativas baseadas na “governança de estradas.”